Ekhezkel (Ekheshkel) Cat

Nasceu em 1847 em Kamenets-Litovsk, na família muito cara do judeu rico Hasid Moyshe. Além disso, bem como a maioria das crianças judaicas, estudadas na escola onde Jakov-Bør melamed ensinou as crianças Gemara, Torah e o Midrash. Já lá na escola por meio da doutrina diligente, inteligência natural e mordendo rozog Rabi Shai-Biecaliel pouco Ekhezkel adquire além de ocupações, o dispositivo de vida na sociedade judaica dos lugares "lituanos", características das relações em um kagal, vida e vida do não população judaica de Kaments. Nesta etapa em todo o conhecimento vital é treinado geralmente o avô reb por Aron-Leyzer e a avó Bale Russia, além disso "pão livre". Provavelmente, é mais fácil inclinar-se em que o Senhor Kotik não esteve envolvido — a preparação da floresta, casa de café de canela de conteúdos, etc.

Movimentos de um lugar a outro depois. A razão daquela pesquisa de meios de sustento e tentativa de evitar o grupo dos distúrbios judaicos (por exemplo, a desordem de Kiev bem conhecida) então torna-se "a história viva de deslocações internas dos judeus russos".

Família de gato
Isto parou o mais extraordinário a um chelovecha na Polônia em Nalevkakh um dos distritos de Varsóvia onde contido "a casa de café judaica mais interessante no mundo" como o autor do livro "Almas judaicas", A. Litvin foi expresso sobre esta instituição. Os emigrantes judaicos do Leste (judeus lituanos) tiveram de guardar em conjunto, e "o núcleo" deste "supolki" somente e houve Ekhezkel Kotik. A política antisemítica que é seguida de distúrbios de massa (especialmente em Malorossiya e no sul da Rússia) gerou várias ondas da emigração judaica, especialmente e a Varsóvia. As pessoas monetárias moveram-se e
além disso com comunicações extensas. Nesta conjuntura a casa de café do Senhor Kotik torna-se o lugar "do partido" de emigrantes judaicos. E quem aqui só não está presente: os fabricantes, comerciantes, banqueiros, encomendam agentes (falando a língua moderna — "e outros representantes do negócio pequeno e médio"), os intelectuais judaicos geralmente na pessoa de escritores também apareceram. Qualquer ação política e social judaica não faz sem a participação de Kotik, a sua aproximação da criação de novos movimentos e as organizações é interessante. Tudo na mesma casa de café sem ostentaçãomente lhe permite ler o livrinho de brochura escrito por ele, certamente no tempo livre. Aqui você otnechy para fazer "tomou um golinho" de várias palavras, aqui não pode soltá-lo mais, até ao fim da leitura de você já compartilham visões daquele proprietário da casa de café. Alegremente? Ali de confiança não está presente, mas assim "A União de sionista do Mundo", "A visita de Pacientes", "Ajudam a Órfãos", "Alojando-se para a Noite de Somente", Akhiezer (A ajuda fraternal), naturalmente, com a sede em Nalevkakh, 31 nasceram.

Contudo seria desejável parar no seu trabalho literário, a saber em tal coisa como "Memórias" — a enciclopédia presente sobre a vida da cidade de Kamenets durante o XIX século escrito ao iídiche. Muitos anos depois (em 1998) o Centro da história do Povo judaico polonês na universidade de Tel Aviv publicou o livro do Gato em hebraico. Isto "por muito tempo a pérola esquecida da literatura judaica" foi traduzido por trabalhos de Maya Ulanovskaya em grande e poderoso.

O livro "Reminiscência" — a verdadeira ontologia de vida da cidade: burguesas insignificantes, proprietários de terras, judeus-melamedy, negociantes, assessor, oficiais de polícia de distrito e todos com os carateres, hábitos, ações. Tudo isso é dado do ponto de vista muito interessante e com o humor judaico sutil. A narração é conduzida com a aplicação das voltas verbais mais interessantes, comparações, provérbios e assim por diante. "Conto sobre o que vi" — o autor começa com estas palavras a narração sobre Kamentsa . A exposição da vida para trás de dentro de com as suas manifestações positivas e negativas, sem patos, fez o trabalho "o tesouro" da literatura judaica e mundial. É bastante fornecer a afirmação sobre o livro do clássico da literatura judaica Sholem Aleichem na carta E. A gato: "Judeus estiveram no seu Kamentsa e em Zastavye muito, são muitos parentes no seu barulhento como chama ela, uma família — o que nenhum deles fez tais memórias como seu?»

Detalhadamente descrito nas memórias o Senhor Shemet e a sua propriedade no território de Shemetovka presente.